Política

Bolsonaro bloqueia verba de 11 ministérios

O Ministério da Economia decidiu ontem (2) remanejar cerca de R$ 3,6 bilhões em verbas para atender demandas emergenciais de cinco ministérios. Para evitar a greve dos caminhoneiros, o Ministério da Infraestrutura irá receber maior parte desse valor, podendo chegar a receber R$ 2 bilhões para a pavimentação das estradas.

O programa Minha Casa, Minha Vida do Ministério do Desenvolvimento Regional receberá R$ 800 milhões da verba remanejada, ou seja, não há risco de paralização do projeto como havia sido especulado no início do ano. Porém não é a primeira vez que verbas são bloqueadas em alguns ministérios para repasse, no ano passado, o ex-presidente Temer bloqueou quase R$ 30 bilhões, o que poderia ter atrapalhado o funcionamento da máquina administrativa.

Outros ministérios também terão mais verba para trabalhar em 2019. Comunicação, Cidadania e Mulher já tiveram seus recursos liberados. Além dos 11 ministérios, o governo irá bloquear também verbas da Presidência e da Vice-Presidência da República. Quem mais perdeu nessa história foi o Ministério da Educação que irá perder R$ 1,59 bilhão.

Outra justificativa para o remanejamento das verbas é a restrição orçamentária de 2019, o governo anunciou que a arrecadação está menor que o esperado. Uma nova avaliação de receitas e despesas será feita no fim de maio e algumas pastas que perderam dinheiro poderão ter mais ou menos recursos a partir de junho.

O Ministério da Defesa teve R$ 725 milhões bloqueados e o Ministério da Economia perdeu R$ 487 milhões para serem utilizados em 2019.

Confira a lista completa de quem ganha e quem perde recursos em 2019:

Quem perde:

  • Educação: R$ 1,59 bilhão
  • Defesa: R$ 725 milhões
  • Economia: R$ 487,2 milhões
  • Justiça: R$ 267,5 milhões
  • Agricultura: R$ 145,6 milhões
  • Relações exteriores: R$ 117,4 milhões
  • Minas e energia: R$ 86,6 milhões
  • Meio Ambiente: R$ 56,6 milhões
  • Presidência da República: R$ 51,1 milhões
  • Turismo: R$ 33,5 milhões
  • Advocacia-Geral da União: R$ 32,2 milhões
  • Controladoria-Geral da União: R$ 8,5 milhões
  • Vice-Presidência: R$ 700 mil

Quem ganha:

  • Infraestrutura: R$ 2 bilhões
  • Desenvolvimento Regional: R$ 800 milhões
  • Cidadania: R$ 500 milhões
  • Ciência: R$ 300 milhões
  • Mulher, Família e Direitos Humanos: R$ 2 milhões

Matérias relacionadas