novembro 18, 2019
Saúde

Brasil perde o título de país livre do sarampo

Foto: Agência Brasil

Doença que foi erradicada em 2016, retornou no ano passado. Em 23 de fevereiro o Ministério da Saúde confirmou mais um caso da doença, completando assim um ano de transmissão sustentada da infecção no país. Em comunicado oficial o Governo Federal informou à Organização Pan-Americana de Saúde que irá colocar em prática um plano para recuperar o título.

Uma das medidas é a ampliação do turno de postos de saúde e a exigência da carteira de vacinação completa no momento da matrícula das crianças em escolas. Hoje, muitas instituições de ensino já exigem a carteira de vacinação, mas não há nenhum impedimento para a matrícula da criança.

Pela nova proposta o calendário atrasado poderia trazer algumas implicações para os responsáveis, que deveriam atualizar imediatamente a carteira de vacinação ou, os mesmos, seriam encaminhados para o conselho tutelar para que as vacinas faltantes sejam aplicadas o mais rápido possível.

Em alguns postos de saúde, a recomendação é de que não sejam abertos frascos da vacina no fim do expediente, para não perder demais doses. Quando um frasco é aberto em um dia e não é utilizado, ele tem de ser descartado. Temendo questionamentos do Tribunal de Contas da União, alguns municípios recomendam que a criança retorne no dia seguinte.

Quando tomou posse no cargo de ministro, Mandetta anunciou a criação de terceiro turno nas unidades de saúde, justamente para atender pais e mães que trabalham e não têm como levar seus filhos no horário comercial. De acordo com a equipe de Mandetta, a mudança deverá ser colocada em prática num curto período de tempo.

A volta da doença

O retorno do sarampo começou no ano passado com casos registrados na Região Norte. O motivo, pode ter sido o grande número de refugiados vindos da Venezuela, pois o país já enfrentava um surto da doença. Porém, especialistas dizem que, se a vacinação da população brasileira fosse adequada, não haveria condições da doença se restabelecer.

Durante o ano de 2018, foram confirmados mais de 10 mil casos da doença, 4 mil, só no mês de julho. O ciclo de transmissão permanece, este ano já foram registrados 48 casos. Ao completar um ano do ciclo no país o Brasil deverá perder o certificado de eliminação do sarampo nas próximas semanas.

Matérias relacionadas