Mercado

CNI divulga indicador de “medo do desemprego”

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou hoje (3) o indicador do “medo do desemprego”, que foi de 58,2 pontos em setembro. A taxa, que vai de zero a cem pontos, mede o quanto o brasileiro tem medo de ficar desempregado. As duas últimas publicações subiram e agora, o nível diminuiu e ficou 7,5 pontos abaixo com relação ao mesmo mês do último ano.

Mesmo assim o índice ainda está acima da média histórica, que é de 50,1 pontos. E quanto maior alto o índice, maior o medo do desemprego. A maior queda registrada foi entre pessoas com menor escolaridade e renda, o indicador caiu 5,4 pontos e saiu de 65,1 para 59,7. Entre os que recebem até um salário mínimo, o medo do desemprego recuou 4 pontos, 72,8 em junho para 68,8 em setembro.

Por regiões do Brasil o medo do desemprego variou de 69,7 pontos no Nordeste, o maior índice, até 47,7 na Região Sul, o menor. No Centro-Oeste e no Norte a marca ficou em 49,3 pontos e 58,5 no Sudeste.

O CNI também mediu a “satisfação com a vida”, o índice alcançou 69 pontos em setembro, 1,6 pontos acima do de junho. Por regiões, o Sul marca a maior satisfação, com 71 pontos. O Centro-Oeste e o Norte marcaram 68,6, o Nordeste 68,1 e o Sudeste 68,8. A pesquisa é trimestral e ouve 2 mil pessoas em 126 municípios brasileiros.

Matérias relacionadas