novembro 18, 2019
Esportes

Conmebol discute vagas no Mundial de Clubes e retorno da Supercopa Libertadores

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Com o novo formato do Mundial de Clubes da Federação Internacional de Futebol (Fifa), falta à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) definir como os clubes irão preencher as vagas. Foi essa a pauta da última reunião da cúpula do futebol sul-americano que aconteceu ontem (17), na sede da entidade, em Luque, no Paraguai.

Os líderes das confederações que compõe a Conmebol definiram o Maracanã como sede da Copa Libertadores da América do próximo ano, já que o estádio completa 70 anos em 2020. Em seguida, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) discordou do retorno da Supercopa Libertadores, que existiu em um curto período da década de 1990 e era disputada entre os times que já haviam sido campeões da Libertadores durante toda a história do torneio.

A Supercopa definiria duas das seis vagas que os clubes sul-americanos terão direito no Mundial de Clubes. A discussão começou daí, a CBF acredita que, como o mundial será disputado de quatro em quatro anos os vencedores da Libertadores dos quatro anos merecem a maioria das vagas, já que o torneio é o maior e mais importante do continente.

Para a Conmebol as vagas seriam divididas da seguinte forma: 2 vagas para os campeões das Libertadores de 2019 e 2020; duas vagas para os vencedores das Sul-Americanas de 2019 e 2020 e duas para os finalistas da nova Supercopa, o formato da competição ainda está em estudo.

Matérias relacionadas