Negócios

Emater desenvolve técnica de aproveitamento de terra para criação de gado leiteiro

Foto: Reprodução / TVAgro

Os técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Goiás (Emater-GO) criaram um método de aproveitamento maior de terra para criação de gado leiteiro. Imagina poder colocar 250 cabeças de gado em 10 hectares de terra. Para quem intende de criação, pode pensar que isso é impossível.

O zootecnista da Emater de Nerópolis, Fernando Coelho, foi chamado para implementar essa metodologia em na Fazenda Dourados em Abadia de Goiás. O empresário Wilton Luiz de Freitas, proprietário de terras para criação de gado, resolveu aceitar a proposta e arriscar aumentar a produção de leite e o rendimento da fazenda.

A metodologia, conhecida como pasto rotacional, utiliza um sistema de irrigação e pasto rotativo. O terreno, de 10 hectares, que será utilizado para implantação da técnica recebeu a grama Tifton 85 e sistema de irrigação dividida em quadrantes. A área possui 26 piquetes de 2.500 metros cada um.

Normalmente, em um terreno do mesmo tamanho, é possível criar 180 cabeças de gado por ano, com o pasto rotacional esse número sobe para 250. Na Fazenda Dourados, onde o projeto foi implantado, produziu 550 mil litros de leite no ano passado. Para o zootecnista Fernando Coelho, para que o método dê resultado é preciso ter dedicação por parte do produtor.

“Se pegarmos a média do Brasil hoje, é menos de 1 unidade animal [unidade de medida que representa uma vaga com cerca de 450 kg] por hectare”, disse o zootcnista que, ao comparar com o resultado do pasto rotacional que chega à 18 unidade animal por hectare. “O trabalho é lento, mas vai crescendo de acordo com a evolução do manejo da pastagem, adubação da pastagem, do conhecimento do produtor, dedicação do produtor, com os erros e acertos de todo o processo produtivo”, completou.

Matérias relacionadas