novembro 18, 2019
Notícias

Ex-governador Alcides Rodrigues é condenado a mais de 10 anos de prisão

O juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) Antônio Cézar Meneses condenou o deputado federal e ex-governador de Goiás Alcides Rodrigues (PRP) a 10 anos e 10 meses em regime fechado por associação criminosa, peculato e declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita para fins eleitorais.

Segundo a sentença, emitida ontem (10), “o acusado tinha pleno conhecimento do caráter ilícito de suas condutas”. O processo foi aberto por uma denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE) e foi recebida pelo TRE-GO em 13 de setembro de 2012 e diz respeito a crimes eleitorais cometidos durante a campanha de 2006.

Várias pessoas foram acusadas e condenadas na mesma sentença, os nomes não foram divulgados. Mas segundo o juiz, pelo fato de o deputado, por ter sido eleito na referida eleição, “foi beneficiado de todo o esquema criminoso”, reforçou. Ainda na sentença, o juiz diz que os acusados contrataram a empresa Mulcooper com o objetivo de fazer caixa dois na campanha.

O esquema movimentou quase R$ 600 mil. “Com essa [contratação] teria havido a celebração de um contrato, no importe de R$ 598.575.30 visando a contratação de pessoal, cujo pagamento seria rateado, em partes iguais, entre os candidatos Alcides Rodrigues e Marconi Perillo”, afirmou Antônio Cézar.

O processo do ex-governador Marconi Perillo ainda desenrola no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ). A sentença do TRE-GO atesta uma prestação de contas do candidato Marconi Perillo de registro de pagamento, no valor de R$ 416.243,21 à cooperativa.

Em sua defesa, Alcides Rodrigues, alega que ele próprio não estava à frente de sua campanha, em razão de seus afazeres como governador de Goiás na época. Segundo ele o controle havia sido passado à outra pessoa. O juiz considerou a justificativa como “aparente displicência e também apresenta o pessoal da parte financeira da campanha para prestação de contas.

Leia a sentença na íntegra.

Matérias relacionadas