Cultura

Festa do pão do céu

As paróquias São Benedito e Imaculado Coração de Maria, seguindo a liturgia da Igreja Católica, estão preparando as celebrações de Corpus Christi, amanhã (20), e contam com a ajuda de toda a comunidade.

Na Praça São Benedito serão colocadas cadeiras para acomodar as mais de 2,5 mil pessoas que irão participar da celebração que começa com animação musical às 16h30, com Missa às 17h, seguida de procissão pelas ruas da Região Central de Nerópolis.

Na Paróquia Imaculado Coração de Maria a programação será diferente, hoje, logo após a Missa das 19h na Creche João Pereira de Matos, a comunidade começará a enfeitar as ruas, com tapetes de serragem colorida. A procissão será amanhã, às 8h, saindo da creche até a matriz, onde acontecerá a Missa.

Corpus Christi

A festa de Corpus Christi tem por objetivo celebrar solenemente o mistério da Eucaristia, ou seja, o Sacramento do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo. Sempre acontece em uma quinta-feira, em alusão à Quinta-feira Santa, quando se deu a instituição deste sacramento. Durante a última ceia de Jesus com seus apóstolos, Ele mandou que celebrassem Sua lembrança comendo o pão e bebendo o vinho que se transformariam em seu Corpo e Sangue.

Através da Eucaristia, Jesus nos mostra que está presente ao nosso lado e se faz alimento para nos dar força para continuar. Jesus nos comunica seu amor e sua entrega por nós. A celebração teve origem em 1243, em Liège, na Bélgica, quando a freira Juliana de Cornion teria tido visões de Cristo demonstrando-lhe desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com destaque.

Em 1264, o Papa Urbano IV através da Bula Papal “Trasnsiturus de hoc mundo”, estendeu a festa para toda a Igreja, pedindo a São Tomás de Aquino que preparasse as leituras e textos litúrgicos que, até hoje, são usados durante a celebração. A procissão com a Hóstia consagrada conduzida em um ostensório é datada de 1274. Foi na época barroca, contudo, que ela se tornou um grande cortejo de ação de graças.

No Brasil

No Brasil, a festa passou a integrar o calendário religioso de Brasília, em 1961, quando uma pequena procissão saiu da Igreja de madeira de Santo Antônio e seguiu até a Igrejinha de Nossa Senhora de Fátima. A tradição de enfeitar as ruas surgiu em Ouro Preto, cidade histórica do interior de Minas Gerais.

A procissão lembra a caminhada do povo de Deus, que é peregrino, em busca da Terra Prometida. No Antigo Testamento esse povo foi alimentado com maná, no deserto. Hoje, ele é alimentado com o próprio Corpo de Cristo.

Durante a Missa o celebrante consagra duas hóstias: uma é consumida e a outra, apresentada aos fiéis para adoração. Essa hóstia permanece no meio da comunidade, como sinal da presença de Cristo vivo no coração de sua Igreja.

Fonte: Canção Nova

Matérias relacionadas