Notícias

General Augusto Heleno fala dos presídios brasileiros

Um dos mais respeitados militares do país, já foi comandante das Forças de Paz da ONU no Haiti e é o futuro chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, concedeu entrevista ontem ao programa Conversa com Bial, da Rede Globo.

Ele falou que os presídios brasileiros são uma fábrica de bandidos requintados. “É desumano. Preciso que esse presídio seja algo que vá recuperar esse indivíduo para a sociedade”, disse.

“O que eu tenho hoje é uma fábrica de doutorado em bandidagem. Temos que mudar isso”.

General Augusto Heleno

O general havia sido cotado para o Ministério da Defesa,porém assumirá o Gabinete para ficar mais próximo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Outro general, Fernando Azevedo e Silva, irá assumir a pasta que antes seria de Heleno.

“Não posso ter um sistema prisional que é uma fábrica de bandido requintado. Nosso sistema prisional precisa ser drasticamente modificado”.

General Augusto Heleno

Durante a entrevista Heleno ressaltou que sempre teve um bom relacionamento com a imprensa e reconheceu que Jair Bolsonaro cometeu alguns excessos durante a campanha eleitoral, principalmente em assumir o posto de porta-voz da mudança, mas também comentou sobre o discurso de diplomação do futuro presidente do Brasil: “ele deixou bem claro que é o presidente de todos os brasileiros”, reforçou.

Sobre a atuação do Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), no episódio envolvendo a movimentação financeira de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flavio Bolsonaro, o general disse que “os responsáveis vão ter que assumir a culpa” e “fico muito feliz que a Coaf tenha se manifestado, ele ficou em silêncio muitos anos. Tomara que ele seja mais ativo e não deixe bilhões de dólares sair do país sem ninguém saber”, completou.

Matérias relacionadas