Notícias

Não haverá greve de caminhoneiros

O Ministério da Infraestrutura divulgou ontem (22) uma nota assumindo o compromisso com os caminhoneiros de repassar o custo do diesel para a tabela de fretes. Além desse acordo, o ministro Tarcísio Gomes de Freitas se comprometeu em eliminar multas desnecessárias aos caminhoneiros e uma fiscalização efetiva da referência de custo do piso.

A nota foi divulgada depois de uma reunião entre o ministro e os integrantes da Confederação Nacional dos Transportes Autônomos (CNTA) e de outras entidades ligadas ao transporte de cargas, além de caminhoneiros autônomos.

A tabela de fretes foi criada no ano passado após a greve dos caminhoneiros que bloqueou as estradas e comprometeu o abastecimento de combustível, medicamentos e alimentos em todo o Brasil. Porém o acordo desagradou até membros do governo e instituições ligadas ao agronegócio e às indústrias.

O último reajuste do diesel aconteceu no dia 17, um aumento de R$ 0,10 por litro. A Petrobras havia anunciado a subida dos preços no dia 11, quando o presidente Jair Bolsonaro suspendeu o reajuste alegando que precisava de uma reunião com o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco e com a equipe econômica do governo.

A reunião aconteceu no dia 16 e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmaram que o valor do reajuste e o anúncio devem ser feitos pela própria Petrobras, sem intervenção do Governo Federal.

Matérias relacionadas