dezembro 14, 2019
Esportes

Pior partida do Palmeiras na Libertadores complica avanço do time na competição

Com um jogo retrancado, buscando um empate em La Bombonera, o Alviverde paulista sofre sua primeira derrota como visitante na Copa Libertadores da América esse ano. Lembrando que jogou contra o Boca Juniors na primeira faze da competição e já havia derrotado o time argentino em Buenos Aires.

Parecia que tudo estava correndo segundo os planos de Felipão: um primeiro tempo pegado, corrido, sob o ritmo do Boca, mas com a posse de bola nos pés do Palmeiras e um controle (descontrolado) com lançamentos para o capo de defesa do time argentino. Porém, o meio de campo não criou nenhuma chance de gol, nem avançou no contra-ataque.

O pior veio no segundo tempo, quando todo o time do Boca Juniors se lançou ao ataque, pois perceberam a intenção do técnico do Verdão. A desestruturação do Palmeiras começou quando Perez e Felipe Melo, que estava fazendo um bom jogo, se desentenderam em campo. Tanto que, aos 35 minutos, o “pitbull” cravou uma falta desnecessária perto da grande área e depois de uma defesa sensacional de Weverton, que espalmou e mandou a bola para fora, gerou o escanteio onde Benedetto cabeceou e fez o primeiro gol do jogo.

Depois disso, com um time completamente desestruturado e com mais uma falha da defesa, Benedetto fez o segundo gol, aos 42 minutos, e complicou ainda mais a vida do time paulista no jogo de volta, na próxima quarta na Arena Palmeiras. Em São Paulo o Verdão precisa vencer por três gols de diferença, ou encerrar a partida com uma vitória por 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis.

Segundo Luiz Felipe Scolari “não dá pra gente ficar lamentando. Estamos fazendo nove jogos por mês, há três meses seguidos. Vai ter dia que fica difícil. Vamos brigar pelo título brasileiro e pela reviravolta no duelo com o Boca”, comentou.

Matérias relacionadas