Notícias

Servidores da Educação fazem greve e Caiado pede compreensão

Foto: Reprodução / Diário de Goiás

Os professores da rede estadual de Educação decidiram entrar em greve ontem (3). A votação no Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado de Goiás (Sintego) aconteceu na segunda-feira (1º) e os servidores foram unânimes em decidir iniciar a greve se todos os servidores não recebessem o salário de março até ontem.

A manifestação dos professores aconteceu em frente ao Palácio Pedro Ludovico Teixeira, na Praça Cívica. Mais de 400 escolas em Goiás não retornaram as atividades hoje. Uma nova assembleia do Sintego está marcada para a próxima segunda-feira (8). A greve estourou por causa da falta de pagamento do mês de dezembro.

Apenas 45% dos servidores recebeu o salário. Unido a isso está a falta de pagamento do vale alimentação de dezembro e a falta de pagamento do mês de março, que deveria ter sido quitado na última semana. A presidente do Sintego, Bia de Lima, disse que a culpa da greve, agora é exclusiva do governador. “Quem parece que tá querendo greve é o Caiado”, disse.

Já o governador Ronaldo Caiado, em entrevista, pediu calma aos servidores e disse que 92% da folha de março já está quitada. “Todos sabem o esforço que eu tenho feito e nesse momento peço que por favor nos ajudem, vocês sabem a maneira como nós recebemos o Estado e o quanto nós estamos superando as dificuldades. O momento é de apoio”, justificou.

A secretária de Educação, Fátima Gavioli, ainda acrescentou que a posição da secretaria é continuar colocando cada real que entrar no caixa na conta dos trabalhadores. “A única coisa que a gente não consegue fazer é dizer que tem dinheiro quando na verdade não tem, hoje a Seduc está com 92% do quadro de servidores da Educação pagos, de março, e já estamos com 59% pagos em dezembro”, completou.

Matérias relacionadas