Negócios

Smartphones podem estar com os dias contados

Claramente, ninguém vive mais sem celular. Hoje eles são utilizados para tudo, gravar vídeos, fotografar, enviar e receber arquivos de mídia, interação entre pessoas nas redes sociais, transações financeiras e até realizar ligações, em aplicativos e utilizando as redes das telefônicas. O problema que as empresas que produzem os aparelhos não conseguem mais inovar e nem criar novas tecnologias acopladas a eles.

Uma das maiores fabricantes de celulares, a Samsung, vem desenvolvendo telas virtuais que poderão deixar os smartphones obsoletos. A empresa liderou o mercado de vendas desses aparelhos em 2018, com mais de 292 milhões em vendas, 20,8% do total de celulares vendidos no mundo.

“Os últimos 10 anos foram a era do smartphone”, disse o presidente da divisão de celulares da Samsung, DongJin Koh, “Deste ano em diante, talvez uma nova era esteja chegando, com tecnologias se misturando e agindo juntas. A nova era está à nossa frente”, completou. O próprio resultado da empresa indica que os celulares bateram no topo e começaram um declive. No ano passado as vendas caíram 8%, em relação ao ano anterior, e os negócios encolheram 4,1%, a maior queda da história dos celulares.

O que mais abalou esse mercado foi o fato de as pessoas demorarem cada vez mais para trocar de aparelho e os preços altos cobrados pelas fabricantes. Segundo o chefe de design da Samsung, Kang Yun-Je, essa análise é superficial. “O design dos smartphones chegou ao seu limite e é por isso que estamos desenvolvendo um smartphone com tela dobrável”, disse.

Ele foi um pouco mais além ao dizer que “estamos nos concentrando em outros dispositivos que estão começando a trazer um impacto mais amplo para o mercado, como fones de ouvidos inteligentes e smartwatches. Em mais ou menos cinco anos, as pessoas não vão nem se dar conta que estão vestindo telas. Será tudo intuitivo”.

Matérias relacionadas