Esportes

Uma final argentina na Libertadores

O Palmeiras conseguiu atacar mais no jogo de ontem, 31, mas o Boca Juniors empatou o jogo e tirou o Alviverde da competição. Depois de “um apagão” em Buenos Aires e a derrota amarga por 2 a 0, o Verdão teria que fazer três gols para se classificar, mas quem abriu o placar na Arena foi o Boca Juniors deixando a tarefa do time paulista ainda mais difícil.

Aos nove minutos do primeiro tempo Bruno Henrique faz para o Palmeiras, mas, depois de consultar o árbitro de vídeo (VAR na sigla em inglês), o colombiano Wilmar Roldán anulou o gol devido ao impedimento de Deyverson na origem da jogada. Em seguida, após falha grotesca da defesa do Verdão, Ábila faz o primeiro do Boca Juniors. Com o resultado do jogo no La Bombonera e o gol do time argentino, o Alviverde Paulista tinha que fazer quatro gols para se classificar.

No segundo tempo o Palmeiras voltou “com sangue nos olhos”, o técnico Luiz Felipe Scolari tirou um volante e colocou outro centroavante para tentar reverter a situação e, aos 15 minutos virou o placar com gols de Luan e Gustavo Gómes, o segundo de pênalti. A torcida colocou o time para cima. O técnico substituto do Boca Júniors, Gustavo Schelotto, coloca Benedetto no jogo e o argentino marca o seu terceiro gol na Libertadores. Todos os três sobre o Palmeiras.

O segundo gol do Boca jogou um balde de água fria na torcida brasileira que lotou a Arena Palmeiras. Com jogadores desanimados, os torcedores começaram a deixar o estádio. No acumulado a semifinal da Copa Libertadores da América ficou assim: Boca Juniors 4, Palmeiras 2. A final será em Buenos Aires, entre River Plate e Boca Juniors, a maior rivalidade do futebol argentino.

Matérias relacionadas